28 de janeiro de 2012

Ambíguo


A morte não passa de saudade sem lógica,
não mede esforços e nem olha nos olhos,
ignora e atropela sentimentos.
Tão inerte e duradoura que se faz dor,
que lateja, oprime ou apedreja o amor.
Não passa de uma disputa irracional
de onde recebemos o titulo de perdedor.


4 comentários:

Sandro Ataliba disse...

A morte é um vencedor covarde, pois nem se esforça, tamanha a certeza de sua vitória.

Blogueiros Literários disse...

Olá, boa tarde. Somos do Projeto "Blogueiros Literários" e queremos juntar o máximo de blogueiros possíveis (dessa categoria) num só lugar. Teremos a cada semana um tema: Semana da poesia, semana dos contos e semana das crônicas, poemas e textos sentimentais. Não iremos divulgar uma frase ou algo assim e você fará seu texto em tese disso, nós apenas iremos divulgar o seu texto. Corre lá, ainda dá tempo, junte-se a nós para formamos uma rede literária. A inscrição está aberta até amanhã.

Ah, ainda tem mais. Você concorre a uma semana de destaque: Blogueiro Destaque. Durante essa semana iremos fazer entrevistas, publicar textos, suas inspirações e tudo mais com o blogueiro vencedor. Passa lá?

http://blogueirosliterarios.blogspot.com/2012/01/inscricoes-abertas.html

' Cíntira's Castle ♪ disse...

' Nossa, em poucas Palavras, tão diretas, descrevestes tão bem este fato que nos cerca por todos os lados e compreendemos tão pouco.

Intrigante reflexão.
:)
gosto de ler teus escritos.
Abraço

Regiane Francieli de Camargo disse...

Cruel e lindo, tal como a vida....