27 de maio de 2011



“...não transforme minha solidez em solidão,
perdoa o silêncio, o medo de amar
ignore o escuro e tudo mais que contra for...”

2 comentários:

Letra e crítica disse...

É estranho mais já tive medo de amar...

Mariana das Neves disse...

Acho bastante comum esse medo de amar. Que na verdade se converte em medo de sofrer!
Belíssimas palavras! :)