25 de abril de 2011

Morada



Quando eu repousar,
mesmo que em distância,
sobre as palavras mal compreendidas
e distribuir esperança
na plenitude desta vida,
poderá haver uma estância
e um pouco de saudade reprimida.

Porém você,
moça do sorriso farto,
quero que descubra
onde escondo teu retrato.

5 comentários:

Jasanf disse...

Já comecei a imaginar o momento exato do repouso do eu-lírico, da saudade reprimida dele e do retrato onde mostra a moça do sorriso farto. Linda imagem acústica!

Sandro Ataliba disse...

Não adianta esconder o retrato, pois se sabe onde ele está. Melhor mostrá-lo, na cara, de frente, como um grito em forma de imagem.
abraço

Thaís Alves disse...

Certamente escondido na alma onde leva consigo para todo lugar. Lindo! Beijos!

Karine disse...

Na alma, intocável, e escondido de olhares que possam a vir furtar-te este sorriso.

Carolina Elizabeth disse...

Você sabe, sou sua fã, acho tudo o que você escreve incrivel, não tenho palavras pra explicar cada sentimento que me proporciona cada texto seu, obrigada simplesmente por escrever !

www.sonhadora-simples.blogspot.com