16 de dezembro de 2011

Biografia.



Eu sou um sorriso que por qualquer motivo pode chorar.
Sou mistério, coisa simples, nem sempre uma incógnita.
Algo entre o esquecimento e a lembrança,
parte do passado que um dia se fez infância.
Pequenos gestos, poucas palavras.
Não oscilo entre três personalidades.
Sou dotado de sentimentos diferentes,
que justificam diferenças.
Por hora sou silêncio,
mas meu olhar nunca se cala,
outrora destrambelho em palavras
e a vida vira pretexto,
os pensamentos viram perpétuos,
a dor vira insônia
e o amor analgésico.
Sou um misto, sou eu mesmo,
biografia de mim, para mim mesmo...

...por mim mesmo.

2 de dezembro de 2011

Expressão


Assumiu o papel de anjo
invadiu a minha vida
e deixou as asas ao pé da escada.
Se fez humana,
tão cheia de sofrimentos
que me fez sofrer;
com tão belo sorriso
que me fez querer cantar;
esbanjando tamanha beleza
que me fez querer voar.
És tão divina que mesmo em
partes tão desiguais
me fez querer mais!

11 de junho de 2011

Aquecer ou esquecer


A vida é feita de escolhas! E quando você se descobre acordando sozinho em pleno dia dos namorados acaba percebendo que não escolheu tão bem assim. Não, eu não estou reclamando por estar sozinho, só estou dizendo que não há motivos para comemorar.
Mas antes ficasse apenas nisso, como o destino é por muitas vezes cruel e implacável, estava eu lendo o jornal e para minha surpresa me dei conta de estar analisando matérias relacionadas a este dia tão indiferente para mim. Graças ao consumismo tudo parece girar em torno do assunto.
Não bastasse o bombardeio de informações melodiosas, a solidão decide tornar o dia ainda mais desagradável. Tudo isso me faz sentir culpado. Poxa, que droga!
Acho até que vou comprar um vinho tinto seco, umas três garrafas! - Comemorar!? Não, me entorpecer!

"Então me sinto protagonista de um filme chamado Criaturas que o mundo esqueceu."
(Caio Fernando Abreu)

4 de junho de 2011

Eminência


Criatura de beleza ímpar,
de atitudes explícitas
e condimentos irreais,
que iludem meus olhos
e consomem meu sono,
em sonhos tão reais.
És para mim especial,
imparcial,
mas nunca imperceptível.

27 de maio de 2011

Minha rendição



Pressupõem e menospreza a beleza de ser amada,
distraindo assim a percepção da realidade.
Consegue ser doce e cruel ao mesmo tempo,
ainda mais quando se dispõe ao relento
e retoma a insegurança dos sentimentos,
mesmo com a contravenção dos ideais.
Diz que não ama nunca, mas não esquece jamais,
mesmo assim recupera supostamente o meu olhar
e me faz querer enxergar a vida ao lado teu.
Não se preocupe em roubar minha atenção,
já que a minha intenção é sempre admira-la
e é por este visual exuberante que garante
toda a atenção daqueles que a vêem passar.
Eu te suplico, de joelhos se preciso for:
não humilhe ou desdenhe o meu amor,
pois e ele é único e tão somente teu!



"O horizonte é apenas uma linha imaginária, que recua quando você se aproxima."

(Filme O Sorriso de Monalisa)

Sensibilidade e sabor



Fez-se uma safra de calhordas apaixonados, pessoas que se dizem românticas, adeptos de bons vinhos para atingirem objetivos não tão bons assim. Sim, eu falo de embriaguez e meia dúzia de palavras forjadas. Mas entenda que isso não é amor, e podemos até chamar de oportunismo. As juras de amor se desfazem por completo, acompanhado esta a ressaca de quem bebeu no objetivo de desfrutar alguns momentos de prazer. Prazer para uns, para outros seria apenas insônia, uma noite cujo sono não foi recuperado. Ao mesmo tempo em que é revoltante é comum (não deveria). Mas poxa, a vida esta tão vazia, repleta de pessoas cheias de si, de surpreendente falta de carinho, devido a isso fica fácil entender o motivo de palavras descabidas soarem com tanto fascínio aos ouvidos alheios. Quem é vitima desta situação também se torna culpado, pois o ego é capaz de ignorar o bom senso e reduzir a pó a compostura de quem se diz verdadeiro, já que a ilusão é a mentira de nós para nós mesmos. O romantismo hoje em dia não passa de mera formalidade, algo que se pratica poucas vezes na vida, e que na maioria dos casos não é sincero. Já a união de duas ou mais palavras correspondem a centenas de interpretações, mas não culpe os poetas pelo ilusionismo de sentimentos inexistentes, apenas os perdoem, pois eles também acharam que sabiam o que era amar, e talvez tenham traduzido ou codificado o significado de cada parágrafo sem nexo escrito num momento de calhordagem regada por muito vinho!

"Hoje é dia de vinho e mulheres, alegria e risadas. 
Véspera de sermões e muita água mineral." 

(Lord Byron)


“...não transforme minha solidez em solidão,
perdoa o silêncio, o medo de amar
ignore o escuro e tudo mais que contra for...”

1 de maio de 2011

Por Mim



Me revolta o amor latente,
a submissão, a entrega
e o que mais for decorrente.
E mesmo sendo amor
a minha revolta não é obediente.
Não reclamo e amo,
não sou diferente,
não há diferenças.
É amor e pronto.
Mas não basta,
eu preciso ir além
por você e mais ninguém.

25 de abril de 2011

Morada



Quando eu repousar,
mesmo que em distância,
sobre as palavras mal compreendidas
e distribuir esperança
na plenitude desta vida,
poderá haver uma estância
e um pouco de saudade reprimida.

Porém você,
moça do sorriso farto,
quero que descubra
onde escondo teu retrato.

22 de abril de 2011

Análogo



Talvez o mais difícil
fosse acordar no outro dia
e perceber que
não foi um sonho.

Que meio sorriso
não ameniza
todo o sofrimento.

Piadas nos fazem
sorrir por fora
e o choro insiste em
machucar por dentro.

A culpa corrói
e insiste em manter
as mãos tremulas.

Perguntas e pensamentos
são as únicas
companhias da mente.

Mas o corpo insiste
em agir com o coração
e pelo menos desta vez
preciso e procuro pedir

PERDÃO!

13 de abril de 2011

Sujeito


Disfarce momentâneo,
resultado de perdas e ganhos.
Muita beleza envolvida,
olhos furiosos e discrição.
Histórias forjadas
e muita sujeira varrida
pra de baixo do tapete.
Velocidade, drogas e sexo!
Loucura instantânea,
cores vibrantes e piscantes.
A noite como a eternidade,
vestimentas em uso
e uma série de sentimentos confusos.
O último uísque como saideira.
Insanidade retida assim como
a calada da noite.

(...) Assim espera a moça correta,
debruçada na janela,
que esqueceu o poeta
e espera o seu motoqueiro errante
das noites mais inebriantes.

10 de abril de 2011

Melancolia


Encontre a face do meu amor mais cantante,
deste obsoleto amor sem fim.
Amor desigual e distante.
Amor total, desamor por mim.

Não há fatos, se quer boatos
que um dia este amor aconteceu,
já que nem ao menos me reconheceu.

Mas sim, era amor,
talvez fosse tímido, calado,
reprimido pela rigidez do silêncio
ou pela controvérsia dos sentimentos ofertados.

Mas na busca de ser compreendido
entrega o perdão de bandeja.
Eis ai o amor que rejeita.
Eis aqui o coração que apedreja.

25 de março de 2011

Condição perpétua


Se meus sentimentos provassem do fel e das alturas,
e despojassem de atitudes palpáveis,
a coordenação do meu pulso não seria certeira
e erraria na medida e na beleza descrita em palavras.

Porém eu, reles humano, errante, poeta e repleto de planos,
me justifico em ausência e recebo a promessa das escolhas,
e de um sempre e próximo fim, e das noites vividas
e paixões para sempre proibidas.

Fica a imortalidade dos pensamentos
que inundam o silêncio  deste quarto tão vazio,
desta vida, vivida e tão descabida
e desprovida de adjetivos.

Somos tão objetos quanto à mobília,
perplexos e estáticos na maioria das vezes,
na metade dos atos.

Descanse, repouse em meu peito, e condiga,
ou retome, ou apenas se cale, mas jamais silencie,
nem perante o mistério, nem diante do mundo.

Provoque a insensatez, a balbúrdia
e a entonação das palavras fúteis,
descumpra as regras, entre em desacordo,
e me guie e me esqueça, e me espante,
mas corra por onde quer que eu ande.

Justifique a minha condição como teu amante,
como teu pra sempre, mesmo que por alguns instantes.

23 de março de 2011

Sutil


É pela exatidão do momento,
sem delongas,
nem espera.
Não temos pressa,
não temos tempo.
Temos o amor e isso já basta,
o vento que arrasta
a ocasião para longe.
Cada minuto a mais
quer dizer um minuto a menos
e lá se vai uma vida inteira.
O amor é o combustível da vida,
o amor faz o tempo parar.
Eu respiro amor,
ela me ama também.
O amor é fato, é forte!
Na ocasião certa,
com o amor certo
você entenderá o que
estou falando!

20 de março de 2011

Antiquado


Hoje sou apenas mais um cara
com a barba por fazer,
mas no fundo ainda sou o mesmo menino
que esta aprendendo a caminhar.

Talvez o sorriso não seja o mesmo,
é sempre inconstante,
mas ainda sim é um sorriso.

Eu sou uma mutação vista por seus olhos,
sentimento este que é mútuo.

Meu único arrependimento foi das palavras,
tanto as ditas, quanto as não ditas.
Merecidas, estarrecidas e malditas.
Mas me perdoem,
palavras são sempre palavras.
Pior seriam se fossem promessas.

Hoje sou assim!
Amanhã me reescrevo!

SELOS: Há muito tempo recebidos...

Primeiramente os selos recebidos da Chelly do blog Minha Caixinha se Surpresas (http://gchelly.blogspot.com). 
Agradeço pela lembrança e pelo carinho a mim concedido, obrigado meu anjo!

Segue os selos e suas regras:


1º - 5 Confissões:

- Eu acredito no amor (talvez este seja o meu maior erro);
- Sou amigo para o que der e vier;
- Tenho uma vontade súbita de desaparecer;
- Temo a vida;
- Confesso que sou mais sentimentos do que atitudes.

2º - 5 Bons livros:

Se são realmente bons não sei, mas eu gostei.
- Antologia poética/Vinicius de Moraes;
- O Amor é para os Fortes/Marcelo Cezar & Marco Aurelio (espírito);
-  A casa da mãe Joana/Reinaldo Pimenta;
- O Livro negro do Radicci/Iotti;
- Dicionário.

3º - 5 Músicas:

- No me lo puedo explicar/Tiziano Ferro
- Eu gosto tanto de você/Lulu Santos
- Say/Jonh Mayer
- Just the way you are/Bruno Mars
- Pra você/Falamansa



Responda estas e no final acrescente mais uma pergunta:

1- O que te levou a criar um blog?
A idéia era escrever um livro para poder compartilhar meus pensamentos, mas daí criaram o blog, deu no que deu;
2- O que te tira do sério?
Injustiça;
3- Você tem alguma mania ou vício?
Sou feito de manias, vícios e defeitos;
4- Qual a sua melhor lembrança?
As vividas na infância;
5- Qual o seu maior sonho?
Viver um grande amor;
6- Se fosse um dinossauro, como se chamaria?
Finado;
7- Qual personagem da sua infância gostaria de ser?
Calvin;
8- Cite uma peça que jamais pode faltar em seu guarda-roupa e outra que jamais usaria.
Calça Jeans e samba-canção respectivamente;
9- Um lugar que ama.
Depende muito;
10- Um ídolo.
Chico Xavier;
11- Que filme você amou e recomenda?
O Amor pode dar certo;
12- Qual o último livro que você leu?
O Amor é para os forte;
13- Qual palavra te define?
Inconstante;
14- Quantas horas diárias você se dedica ao blog?
...
15- Quais são seus planos para 2011?
Sobreviver;
16- O que te traz alegria?
Boas ações, educação e simpatia;
17- Uma frase que direcione a sua vida:
"Todas as coisas que nunca disse por tanto tempo, olhe bem, estão em meus olhos.";
18- Se pudesse estar em algum lugar hoje, estaria...?
Distante;
19- Uma cor?
Duas! Preto e branco;
20- O que vale mais em uma pessoa?
Doação;
21- Se ficasse bilionário(a) hoje,o que faria pra melhorar o mundo?
Não acredito que dinheiro seja a solução;
22- Qual o seu perfume?
Essencial;
23- Palavra preferida ?
Perdão;
Minha pergunta:
Por quem você reza a noite antes de dormir?
???


Agora os selos recebidos por Mariana das Neves do blog Clouds (http://mysteriesclouds.blogspot.com). 
Só tenho a agradecer por sempre ser lembrando!

Selos e regra respectivamente:




Dizer quatro atos (maneiras) de amor:

- Perdão;
- Doação;
- Sacrifício
- e Fé.


Agradeço também pelo selo recebido por Jesanf do blog Lectando-me (http://lectandome.blogspot.com/).


Pois bem, fica aqui os meus sinceros agradecimentos e assim que possivel indico os selos, agradeço desde já a compreenção! 
Abraço a todos!