18 de janeiro de 2010

Sem limites

Sempre, quase sempre o amor se faz presente.
É a tirania do coração quem promove estes eventos,
eventos importunos perante a minha alma.
Tenho calafrios e pensamentos .
Tenho visões embaraçosas.
Tremor de mãos que te contornam.
Respiração ofegante que te suplica.
Quero poder dizer o que sinto
e ao mesmo tempo fugir de tudo.
Quero poder voar.
Quero tudo,
mas tudo o que eu possa ter com você!
O deslizar de mãos e pés,
a troca de olhares,
os respingos de chuva,
a pureza da terra.
Quero as palavras atrapalhando o sexo.
Quero você de volta para mim
para todo o sempre,
por cada instante,
por entre os bosques,
rolando na grama,
na madrugada e no amanhecer do sol.

Pela vida inteira!
Quero você escorada na porta do meu quarto
dedilhando sinfonias,
cantando para o meu ser.
Quero você seja em noites frias
ou em cada entardecer.
Eu quero!
Quero amor.
Quero amar.
Quero sofre.
Quero sonhar.
Chega de idéias!
Desliga o telefone e vem pra cá!

Nenhum comentário: