30 de dezembro de 2009

1º e 2º Ato - O fim da essência


Há quem tema a morte.
Mas é mais plausível acreditar que não sairemos vivo
e devemos nos acostumar a tal fato.
Fato esse tão fatídico, mas que não deixa de ser verdade.
Posso me considerar amante da morte.
Claro que não sou adepto ao suicídio (longe de mim).
Apenas, como ser humano normal (ou quase isso) que sou
tenho a nítida convicção que a morte não é um fim
e sim apenas um fechar de cortinas, uma passagem.
Você nasce e morre,
essa é a lei da vida ou da morte, não sei!
Cultuar mortos também não é bom.
É preferível ter respeito enquanto vivos.
Afinal restos mortais são para os vermes,
isso pode parecer ofensivo,
mas não passa de um simples processo,
um ciclo pelo qual toda matéria tende a passar.
Então nossos corpos serão constituintes de outros meios.
Tudo isso nos coloca a pensar!
Deixe a morte de lado.
Encare a vida, dela sim você poderá tirar proveito.
Deixe que o tempo se encarregue da morte.
Viva cada vão momento.

2 comentários:

A Bailarina disse...

Oi anjo!!

Ahh temos que viver cada momento. Aproveitar e ver o melhor de tudo, ou tentarmos superar os momentos ruins.

Estou de volta!!

Feliz 2010 =**

' Cíntira's Castle ♪ disse...

' Dizer sim a vida..
Não apenas narrar, mas também apreciar e realmente viver..
Afinal a vida é o presente..O que temos..

Da morte..Cuida o Futuro..

Abraço.