11 de setembro de 2009

Uma noite, nada mais

A noite não anuncia nada,
a planta gélida, calada,
a música que não para.

Somente a luz acesa,
somente papel e caneta na mesa,
somente a mente e um coração apaixonado.

Viver não faz sentido.
morrer não é meu objetivo,
escrevo pensamentos escondidos.

Olhos para um mundo perdido,
olhos para uma lua serena,
olhos para estrelas que brilham
[apesar de pequenas].

Assim ponho o mundo num papel,
assim vejo mais um pedaço de céu
assim lembro de uma história fiel.

Então:
caem as folhas
passam as horas
proponho melhoras
sonhos em auroras
luto por dias de glória
livros se fecham
músicas se calam
luzes se apagam.

A vida continua com a rotina minha,
que se cruza com a sua.

Um comentário:

. Cíntira's Castle . ♪ disse...

'Assim ponho o mundo num papel,
assim vejo mais um pedaço de céu
assim lembro de uma história fiel.'

Linda Post.
SEm palavras.
:D