8 de setembro de 2009

Reflexo do tempo...

A gente volta para casa

e já passa da hora de ir dormir.

Pressiono sua garganta

que libera palavras absurdas

na calada da noite.

E seu reflexo se torna

metade de mim,

numa reverência a nossa paixão,

que continua insaciável.

Fecho os olhos

e continuo a sonhar

junto a um entrelaçar

de dedos e pernas.

O vento contorna nossos corpos.

O sol nos inveja.

E a lua retoma o seu lugar.

Não levantamos

e já passa da hora de dormir.



Por Affonso

Um comentário:

Gabriela Maria disse...

gostei muito das poesias q li aqui. parabéns pelo blog.